Conheça tudo sobre a Cachaça, a bebida Nacional!
Alambique da Cachaça
Imigrantes Bebidas

Mais de 250 rótulos de cachaças diferentes
Aprenda armazenar sua cachaça

Cada bebida tem uma forma de ser armazenada, seja em casa, ou em adegas, e todas essas exigências devem ser seguidas a risca para não alterar o seu sabor. Veja algumas dicas para armazenar a cachaça.

 

Como armazenar a cachaça

 

A cachaça é uma das bebidas mais fáceis de serem armazenadas. Diferente do vinho, ela não precisa ser deixada em um local ou posição muito específico. A luz também não influência muito na cachaça, mas é sempre bom evitar deixar qualquer bebida exposta ao sol.

A duração de armazenamento da cachaça é um ponto forte também. Ela pode ser mantida até 20 anos guardada, desde que em uma embalagem bem lacrada. Quando a garrafa é aberta e o líquido entra em contato com o oxigênio, seu sabor pode ser alterado.

Caso a garrafa já tenha sido aberta e você desejar guardar o que restou da cachaça, opte por garrafas de vidro e tampe bem, se possível com rolhas de cortiça. Você pode utilizar recipientes de plástico, mas desde que o armazenamento não seja prolongado, pois ele pode alterar o gosto da cachaça.

Mas é importante atentar para a temperatura. Não armazene sua cachaça durante longos períodos na geladeira nem em locais com temperatura muito elevada. É sempre bom procurar deixá-la em ambientes com temperatura ambiente para não causar nenhuma alteração.

 

 

 

Como funcionam os armazenamentos em barris


 

É possível também armazenar a cachaça em barris e tonéis de madeira. Mas é necessário prestar atenção na qualidade e no tipo de madeira utilizada. A cachaça é armazenada em barris de madeira para o seu envelhecimento, e o tipo de madeira influencia diretamente em características importantes da bebida como o sabor e a cor.

 

Veja os barris mais usados para o armazenamento da cachaça


Amburana: também conhecida como Imburana. Baixa a acidez e o teor alcoólico, deixando a cachaça mais suave.


Amendoim: madeira em extinção, hoje rara, de extração proibida ou controlada em lei, ainda encontrada no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O amendoim baixa um pouco a acidez e o teor alcoólico da cachaça, mantendo o caráter e a integridade da bebida.


Angelim-araroba Bálsamo: também conhecida como angelim-côco. Amarela a cachaça dando-lhe o gosto acentuado da madeira. Árvore comum na Bahia, Rio de Janeiro e Minas Gerais.


Carvalho: madeira européia, usada na construção em geral e no envelhecimento de destilados e vinhos desde a Antiguidade. Existem cachaças maravilhosas envelhecidas no carvalho, de cor ouro claro, macias e levemente adocicadas.


Castanheira (castanheira-do-pará): considerada a madeira brasileira de propriedades mais próximas ao carvalho, cujos efeitos sobre a cachaça mais se assemelham à espécie européia. Bem utilizada, confere suavidade, leve gosto adocicado e cor amarelada à bebida.


Eucalipto: é a grande novidade dos estudos das universidades e instituições de pesquisa sobre o aproveitamento de madeiras nativas ou adaptadas às condições brasileiras. O eucalipto mostra resultados na cachaça semelhantes ao carvalho, restando ainda o aprofundamento nas análises químicas e sensoriais.


Grápia: madeira que, bem tratada e utilizada corretamente, é uma das melhores para o envelhecimento. Reduz a acidez e o teor alcoólico da cachaça, que fica mais leve e suave, mantendo sua cor original.


Ipê: o ipê é considerado árvore nacional de importância simbólica equivalente ao pau-brasil. Madeira que transforma muito a cachaça, que recebe tom alaranjado e maciez.


Jequitibá: madeira tão nobre quanto o amendoim para o envelhecimento da cachaça. A cachaça fica um pouco menos ácida e mais macia. Encontrada do nordeste ao sul do país.


Freijó: madeira que, curtida ou adequadamente tratada, equipara-se ao amendoim e ao jequitibá.

 

Fonte: blogdacachaça




Conheça Também:

Imigrantes Bebidas
Clã do Whiky
Vodkas.com.br
cervejanacionaleimportada.com.br
Bebidaebebidas.com.br
Adega do Vinho
Absintos.com.br
2657525